Criatividade e inovação para resolver o problema da produtividade

AAmérica Latina é o continente com os maiores níveis de desigualdade do planeta. Atualmente, segundo o Banco Mundial, 80 milhões de pessoas na região vivem com menos de um dólar por dia.


 

As micro, pequenas e médias empresas geram 70% dos empregos na
América Latina. A Avina e seus parceiros acreditam que é possível
melhorar a qualidade de vida de milhões de latino-americanos através
da expansão de mercados inclusivos.

Parte da solução para reverter essa situação é promover um aumento na produtividade regional que abra oportunidades econômicas concretas para a população de baixa renda, e ajudar a melhorar sua qualidade de vida através de mecanismos de mercado. Ainda que atualmente as micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) gerem 70% dos empregos na América Latina, assim como boa parte da renda dessa população, grande parte delas se caracteriza pela informalidade ou pelo “empreendedorismo de sobrevivência”, o que atrapalha o crescimento de muitas famílias trabalhadoras. Buscar um "crescimento econômico” não é suficiente. É necessário também priorizar a qualidade desse crescimento e sua capacidade de gerar benefícios para aqueles que estão excluídos. Como gerar condições de mercado que incentivem a inclusão econômica dos mais necessitados?

Os negócios inclusivos são iniciativas economicamente rentáveis e ambiental e/ou socialmente responsáveis, que utilizam os mecanismos do mercado para melhorar a qualidade de vida das pessoas de baixa renda estimulando a participação em todas as fases da cadeia de valor. Os negócios inclusivos são um meio de sustento para aqueles que vivem na base da pirâmide e uma alternativa viável e eficiente como complemento à assistência tradicional dos governos, auxílios e filantropia. Os negócios inclusivos na América Latina têm a oportunidade excepcional de dar às famílias de baixa renda maior acesso a produtos e serviços que melhorem sua qualidade de vida. De fato, a criação de um mercado inclusivo e ambientalmente sustentável pode representar uma grande vantagem competitiva para a região.

 

Empreendimento, investimentos de impacto e desenvolvimento de negócios

AAvina e seus parceiros creem que é possível melhorar a qualidade de vida de milhões de latino-americanos por meio da expansão de mercados inclusivos, demonstrando que é possível gerar riqueza com igualdade e fazê-lo de maneira acelerada, inovadora e sustentável. A Avina busca melhorar a criação e expansão de negócios com um enfoque de resultado triplo: econômico, social e ambiental, de modo que os mercados inclusivos se tornem uma força importante na economia da América Latina.

Para fomentar um mercado inclusivo no continente latino-americano, a Avina trabalha em três frentes: estimula uma cultura empreendedora e um ambiente propício para seu sucesso, cria e fortalece diversos instrumentos de investimento, conectando empreendedores de alto potencial com essas oportunidades de financiamento e articula parcerias e redes de colaboração que forneçam serviços de incubação, aceleração e capacitação para empreendedores para que possam melhorar sua competitividade.

Em cada frente, a Avina trabalha como articuladora, coinvestidora e facilitadora, empregando seus recursos, conhecimento, presença local e relações com milhares de parceiros para preparar e fortalecer os mercados inclusivos em níveis nacional e regional.

 

 

Artesãs de Kiej de los Bosques, uma das nove empresas apoiadas pela
Ágora, projetam, desenvolvem e vendem seus produtos
internacionalmente.

Capacitação e promoção de pequenos empresários

Com o objetivo de estimular a atividade empresarial em países de pobreza extrema e áreas vizinhas de alto risco, e elevar o nível das pequenas empresas para que possam ter acesso ao capital necessário para acelerar seu crescimento, um de nossos parceiros, a Ágora Partnerships, criou um programa chamado “La Aceleradora”.

No fim de 2011, a Ágora concluiu a primeira rodada de aceleração do crescimento de negócios com nove empresas da América Central, cujos diretores tiveram 150 horas de capacitação com consultores especializados e assessoria jurídica de profissionais da KPMG. Essas empresas geraram empregos diretos para mais de 300 pessoas e obtiveram mais de 2,5 milhões de dólares em vendas em 2011.

Durante esse mesmo ano, a Ágora trabalhou identificando os pontos fracos dessas nove empresas com o objetivo de fortalecê-las e prepará-las para receber fundos de investimento. No primeiro semestre de 2011, a Ágora realizou a Primeira Conferência de Investidores de Impacto na Nicarágua, e em 48 horas, cinco empresas foram beneficiadas, pois se capitalizaram com um total de 3,5 milhões de dólares.

Kiej de los Bosques é uma das nove empresas aceleradas pela Ágora e tem como objetivo criar, desenvolver e vender internacionalmente produtos que, através de sua marca Wakami, contem histórias da Guatemala. Os produtos são elaborados por mulheres da zona rural da Guatemala, combinando habilidades ancestrais com as últimas tendências da moda. Hoje, a empresa possui 14 funcionários permanentes, 264 fornecedores e paga 10% a mais do que o salário mínimo estabelecido. Depois de dez meses de aceleração com a Ágora, o faturamento de vendas em outubro representou um aumento de 111% sobre a meta estabelecida.

A Fundación Avina faz parte do comitê de investimento do programa “La Aceleradora” da Ágora juntamente com a Central America Leadership Initiative (CALI), Appropriate Infrastructure Development Group (AIDG) e The Unreasonable Institute. A Avina doou o capital inicial para esse programa.

 

Estimular uma cultura empreendedora

Com o objetivo de estimular uma cultura empreendedora, o governo do Chile buscou aumentar a competitividade para a criação de micro, pequenas e médias empresas.

A promulgação da lei 20.494, apoiada pela Avina e seus parceiros, e patrocinada pelo Ministério da Economia do Chile, reduz de vinte e dois para sete dias o processo de tramitação para a criação de novas empresas, e prevê uma redução de 27% nos custos de criação de empresas cujo capital seja inferior a 200 mil dólares. Com esta disposição, o governo do Chile demonstra confiança nas MPMEs e reduz o tempo e o custo das transações ao exigir que os municípios entreguem imediatamente o registro para essas empresas, que o Serviço de Impostos Internos autorize imediatamente o uso de notas fiscais e que o Diário Oficial publique gratuitamente a criação das MPMEs.

Antes da promulgação dessa lei, o contribuinte tinha que esperar em média 14 dias para que o município verificasse as condições de funcionamento no domicílio do contribuinte, o Serviço de Impostos Internos tinha um prazo de 16 dias para verificar as atividades do contribuinte e conceder a ele um número de identificação e, além disso, a pessoa interessada tinha que pagar 150 dólares pela publicação no Diário Oficial, independente do tamanho de sua empresa.

A Avina, juntamente com a organização Acción Emprendedora, identificou a oportunidade para apoiar essa lei, financiou o estudo que inspirou o projeto de lei e acompanhou o processo legislativo.

Nossos principais parceiros continentais e coinvestidores para essa oportunidade são:
  • ANDE Polo Brasil, com o qual a Avina busca identificar oportunidades de parcerias que fortaleçam a criação de novas iniciativas de negócios.
  • Growing Inclusive Markets – Brasil, uma parceria entre a Fundación Avina, a Fundação  Dom Cabral, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) para incentivar o desenvolvimento dos mercados inclusivos no Brasil.
  • CAF, Banco de Desenvolvimento da América Latina, com o qual a Avina e o PNUD, a Organização Intereclesiástica de Cooperação para o Desenvolvimento (ICCO) e o Serviço Holandês de Cooperação para o Desenvolvimento (SNV) buscam formalizar o programa “La Doble Vía Inclusiva” para gerar negócios inclusivos nos dois lados da estrada que separa as cidades de La Paz e Oruro, na Bolívia. O desafio é mobilizar a capacidade de inovação e gestão dos setores público e privado para desenvolver essa iniciativa.
  • Citibank Brasil, com o qual a Avina firmou uma parceria que permite inovar o processo, ampliar a cobertura e evidenciar o impacto dos Prêmios de Microempreendimentos para beneficiar os microempresários no Brasil.